Página Principal Mapa do Site  |  Contactos  |  Termos e Condições  |  Política de Privacidade

Secções
Catálogo de Títulos
Séries TV
Espectáculos Musicais
Títulos só em Aluguer
Recursos On-line
Distribuidores
 
Últimas Novidades
20th Century Fox / PRIS
Estévez Seven
Filmes Unimundos
FILMS4YOU Cinema
Leopardo Filmes
Midas Filmes
PRIS Audiovisuais
Paramount Pictures / ZON
Sony Pictures / PRIS
Universal Pictures / ZON
Walt Disney / ZON
Warner Bros. / ZON
ZON Audiovisuais
Outras
 
Catálogos Antigos
Atalanta Filmes
Castello Lopes Multimédia
Cine Digital
Costa do Castelo
Divisa Home Video
LNK Audiovisuais
MPAudiovisuais
Prisvideo
Sony Pictures
Universal Pictures
Valentim de Carvalho
 
Pesquisar
 
Facebook
 
    
O TAL CANAL - EDIÇÃO COMEMORATIVA DOS 25 ANOS

"O Tal Canal" (1983 - 815m)

SINOPSE
[O MELHOR
PROGRAMA DE SEMPRE
DA TELEVISÃO
PORTUGUESA * ]

"O Texto que se segue é da esclusiva responsabilidade do concelho de girência:

Portugueses... povo em geral... pessoas.
Faz agora 1/4 de século que começámos esta cruzada, precisamente 25 anos que como é sobejamente sabido, prefazem eles próprios 1/4 de século. Há 25 longos anos nasceu aquilo de que todos estavam à espera: uma TV eximida, franqueada, licenciosa e dissoluta. Dissolutas tão só porque franqueada, franqueada porque eximida, eximida sem, no entanto, deixar de ser licenciosa. O que é, afinal, o que o povo português esperava de nós: uma programação com 2.8% de eximismo franqueado, de dissoluto silencioso, e principalmente de franquesismo eximado, sem os quais não teria sido possível fazer uma televisão clara e com uma linguagem simples e acessível, que toda a gente ainda hoje perceba."

Sua Excelência o Director e Dono do Tal Canal, Professor Doutor Por Extenso.

Oliveira Casca

* Votado pelos portugueses numa iniciativa promovida por Diário de Time Out e Produções Fictícias entre Outubro e Dezembro de 2007

BOOKLET

Vinte e cinco anos depois, não sei precisar se escrever e interpretar o Tal Canal, terá sido um acto de loucura, se de ambição, se de paixão. Ou porventura uma mistura explosiva de tudo isso catalizada por aquela convicção de filho único de 28 anos, que passara a meninice navegando numa admiração quase autista por produtos que num Portugal de pacóvia (mas eficiente) ditadura, ninguém via, ninguém gostava, e poucos defendiam. Desaparecida a leva de puro génio António Silva/ Vasco Santana, nenhum dos "nacional engenhos de fazer rir" me arrebatavam. Admirava a vertente 'Alberto Sordi / Toto' do meu "padrinho e anjo da guarda" Nicolau Breyner, encantava-me a loucura do inquietante Mário Viegas... e pouco mais. Tudo me soava previsivel, repetitivo, e sobretudo inquinado por um passado revisteiro, que não deixava espaço ao "non-sense". (Honrosa excepção feita aos excelentes textos do Miguel Gila - como o 'Monologo sobre La Guerra' - cuja versão portuguesa serviu de rampa de lançamento ao mítico Raul Solnado).
Ensaiei a minha vertente iconoclasta no "Passeio dos Alegres" com a personagem 'Tony Silva' ao lado do Julio Isidro, e nela descobri que com trabalho, muito suor e algumas lágrimas me seria possível entrar em autogestão criativa. Na rádio, pela mão da dupla de amigos e fãs João David Nunes / Jaime Fernandes, construi uma ilha de experimental surrealismo no programa "A Flor do Éter" (coabitada pelos autores António Pinho, José Carlos Ary dos Santos, António Tavares-Telles e Tozé Brito), donde sairam as sementes para este voo televisivo, encomenda generosa do José Niza - então co-responsável pelos conteudos da RTP.
Foi com desgosto que descobri que o título que escolhera para o programa já estava registado: "O Terceiro Canal". A opção "O Tal Canal" foi segunda escolha, feita à pressa, porque não havia tempo a perder. Acabou por ser a melhor. E muito premonitória. Para mim, este, é e será sempre "o tal" programa. O seu êxito foi imediato e explosivo. Adivinhei-lhe o impacto, mas jamais a longevidade. Não consigo perceber, como é que 25 anos depois, ainda me dizem na rua "não me chame Condensa que me põe tensa". Ou se calhar consigo. É que volvidos todos estes anos, também o meu paradigma do (bom) humor continua a ser um Deus "vintage" com o sorriso do Benny Hill, o "silly walk" do John Cleese, a ironia do Peter Sellers, os textos do Woody Allen, e o timing da Lucille Ball.

Herman José

REALIZADOR
Nuno Teixeira

INTÉRPRETES
Helena Isabel, Herman José, Lídia Franco, Manuel Cavaco, Margarida Carpinteiro, Natália De Sousa, Victor de Sousa.
VIDEO
Standard 1.33:1 [4:3]

AUDIO
Português Dolby Digital 2.0

LEGENDAS
nenhuma

OPÇÕES ESPECIAIS
Inclui todas as 12 emissões míticas do mais famoso canal da Televisão Portuguesa, e ainda fabulosos conteúdos exclusivos:
. O Tal do Canal: Entrevista com Herman José
. Inconsequências do Tal Canal

DISCOS/LADOS
4 discos de 1 lado

ESTÚDIO(S)
RTP Vídeos

DISTRIBUIÇÃO
Castello Lopes Multimedia

INFORMAÇÃO ON-LINE SOBRE O FILME



  DVDpt - Toda a informação sobre DVDs


Mapa do SiteContactosTermos e CondiçõesPolítica de Privacidade



© 1997-2014 Devmedia - Todos os direitos reservados.